Reflexões Pessoais

Quebra-Cabeça

Um dia desses uma notícia me chamou a atenção. Na sequência, comecei a pensar em situações inesperadas que já aconteceram comigo:

http://noticias.terra.com.br/mundo/europa/foto-revela-encontro-de-casal-20-anos-antes-do-matrimonio,6305b07823797410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html

Você já teve a oportunidade de passar por algum momento de “coincidência”, onde parece que tudo estava previamente determinado e todas as pessoas e coisas confluem para tal? Eu já havia passado por situações como essa, onde o primeiro instinto é pensarmos, após o susto: “Nossa, como o mundo é pequeno”. Amigos de cidades diferentes que iam fazer faculdade e moravam juntos, pessoas sem qualquer conexão que de repente eram amigos em comum (e as redes sociais hoje nos ajudam a encontrar esses laços forjados pelo destino) e outras inúmeras situações já aconteceram comigo.

Contudo, essa frase acima nunca tinha feito tanto sentido para mim como nas últimas horas. O “mundo” que nela dizemos ser pequeno antes me apresentava acasos de algumas centenas de quilômetros em situações menores, não entre países com muitas milhas de distância. A surpresa e a emoção ainda existem e são diretamente proporcionais à grandeza do imprevisto.

Vou explicar! (Ao melhor estilo “Ra-tim-bim: “Senta que lá vem história”)

Em um dos meus primeiros textos aqui publicados, no qual relatava um pouco da mina viagem de ida ao Sri Lanka em janeiro deste ano, pude compartilhar um pouco dos meus sentimentos naquele momento e da minha alegria ao encontrar, no meio da loucura do aeroporto de Dubai (onde fiz uma parada de conexão), uma família de Brasileiros residentes na Austrália e que estavam voltando de um período de férias no Brasil. (Para quem não leu esse texto, clique aqui).

“Conheci, no meio daquela loucura árabe naquele terminal, um casal muito simpático e determinado de brasileiros, Fábio e Bárbara, com seus dois filhos, voltando para casa. Ele, professor de artes marciais, e ela, mãe e dona de casa (“artes” estas que muitas vezes exigem maior destreza e agilidade do que qualquer luta) moram em Perth, Austrália, e me deram a alegria de um delicioso lanche compartilhado, regado à um bom papo em português. Aqueles breves momentos me fizeram sentir muito bem e aliviaram um pouco a dor da minha partida.”

Fábio, Bárbara e seus filhos em Dubai. Quanta coisa aconteceu desde então...
Fábio, Bárbara e seus filhos em Dubai. Quanta coisa aconteceu desde então…

Naquele momento eu estava um tanto quanto entristecido pela partida e com muito medo de tudo de novo que estava acontecendo (mal sabia eu tudo o que estava preparado para mim nos meses seguintes). Encontrar aquele casal de brasileiros foi um acalento para minhas angustias naquele momento. Por alguns instantes pude me sentir em casa, ainda que muito distante. Na despedida, ao agradecê-los pela companhia, um pensamento inevitável passou pela minha cabeça: “Acho que nunca mais vou encontrá-los! Que pena, eles são muito legais!”. Mal sabia eu o que o destino havia me reservado.

Agora, prestes a completar sete meses de viagem, recebo uma notícia que me fez estremecer da cabeça aos pés, acelerar meu coração e que me deixou extremamente feliz. Tudo começa em 2008.

Em julho de 2008 conheci Guilherme Luis Dias, um cara muito alegre e comunicativo com 21 anos na época. Nos conhecemos durante um programa de solidariedade de nossa diocese em Londrina chamado “Missões Universitárias” e nos demos muito bem logo de cara. Extrovertido e sempre animado, Guilherme é daquele tipo de pessoa que encanta e cativa sem deixar ninguém parado, que não te deixa pra baixo nunca e era exatamente disso que eu estava precisando naquele momento. Sentia que Deus havia colocado ele no meu caminho pra me mostrar que a vida deve ser vivida daquele jeito: sempre sorrindo! Para quem o conhece, tenho certeza que essa é a maior lembrança dele.

Experiência de solidariedade e voluntariado em julho de 2008. Que bom que o tempo passa né? rs
Experiência de solidariedade e voluntariado em julho de 2008. Que bom que o tempo passa né? rs

Em um dos espaços de formação durante essa semana que passamos juntos em 2008, Guilherme foi o responsável por conduzir um momento muito especial que nunca saiu da minha memória. Em suas palavras: “Não sei se você já foi traído na vida, mas a dor é bem grande. Se a gente não gosta nem de pensar nisso, porque nós traímos tanto a Deus?”. Suas palavras foram tão importantes que tenho até hoje na parede do meu quarto o cartaz que ele usou para conduzir aquela formação que dizia: “Vai e não peques mais”.

Um pouco desbotado (até porque já se foram 6 anos) mas a mensagem ainda está ali.
Um pouco desbotado (até porque já se foram 6 anos) mas a mensagem ainda está ali.

Após alguns anos tive a feliz surpresa de descobrir que minha ex-chefe, Maria Helena, era tia deste rapaz. Pudemos nos encontrar muitas outras vezes e chegamos também, por ironia (ou não) do destino, a nos reencontrar em Madri, Espanha, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude. Nesta vez, também, ele me apresentou Bárbara, que – alguns anos depois – se tornaria sua esposa. Cada reencontro era motivo para meu coração se encher de alegria apenas pelas lembranças dos bons momentos de julho de 2008 onde, por mais que ele não saiba, cativou meu coração com seu jeito de ser alegre e gentil. Enfim, Guilherme foi (e continua sendo) uma pessoa muito importante na minha caminhada de amadurecimento e apenas tenho bons adjetivos para caracterizar os momentos que passamos e a pessoa encantadora que ele é. Atualmente ele e sua esposa moram na Austrália. Eles se casaram em 17 de maio de 2013 e logo se mudaram para lá.

Eu e Guilherme em Madri, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude de 2011.
Eu e Guilherme em Madri, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude de 2011.

Qual não foi a minha surpresa que hoje recebo uma mensagem que dizia o seguinte:

“Grande Gabriel! Tudo bem? Uma amiga da Bárbara (outra Bárbara, a Babi) aqui de Perth nos mostrou umas fotos da última viagem da família dela para o Brasil e você estava em uma delas, no caminho pra cá. Que coincidência!”

Eu fiquei extremamente chocado com a pequenez do mundo e ao mesmo tempo com a grandeza dos laços e das relações que podemos ter. Esse desconhecido é fascinante e encantador. Nunca sabemos até onde nossas atitudes influenciarão o nosso próprio futuro, até onde as conexões entre as pessoas chegarão de novo até a gente mesmo. Olha que loucura: a esposa de um amigo meu, que conheci seis anos atrás, futuramente sobrinho da minha chefe e que atualmente mora na Austrália conhece outra brasileira do Rio de Janeiro que eu tive a oportunidade de encontrar ela e sua família (completamente sem querer, diga-se de passagem) no terminal 2 do gigantesco aeroporto de Dubai, viajando para o Sri Lanka!

Nas palavras de Bárbara, esposa do Guilherme:

“Será coincidência? Acaso? Providência? Agora imagine essa situação: conheci você na JMJ em Madrid e agora estou morando em Perth, assim como a Bárbara, esposa do Fábio. Conheci a Babi no “patchwork” e na aula da semana passada ela estava mostrando algumas fotos da família dela… Meu Deus, que surpresa! Entre elas estava exatamente esta foto de vocês lanchando juntos. Pensei, perguntei, questionei “não pode ser…”, perguntei novamente: “Mas Babi, de onde você conhece esse menino? Acho que eu o conheço lá de Londrina, sabia? Você sabe o que ele estava fazendo em Dubai? Ele não estava em missões?” E ainda assim fiquei pensando, “não pode ser o mesmo Gabriel”… “Em Dubai?” E só agora lendo sobre a sua experiência que pude confirmar! Tudo que acontece em nossas vidas tem um propósito especial e realmente Gabriel, pode ter certeza que uma grande jornada como a sua, proporcionará grandes mudanças, descobertas e surpresas!”

Guilherme e Bárbara, há mais de um ano vivendo na Austrália!
Guilherme e Bárbara, há mais de um ano vivendo na Austrália!

Definitivamente o mundo é um grande quebra-cabeça, no qual uma simples peça sozinha não é capaz de demonstrar nada, nem mesmo formar qualquer imagem. Mas com paciência e resiliência é possível encontrar o espaço de cada uma e ir formando, ao decorrer da nossa vida, a imagem por de trás daquele emaranhado de desconhecido desforme. Receber essa notícia hoje (ainda mais de uma pessoa pela qual sinto profundo apreço, amizade e respeito) foi muito bom e me reafirmou que “Deus escreve certo por linhas certas; torto é quem não sabe interpretar”. O tempo sempre nos conduz para a melhor interpretação.

Que tenhamos a sabedoria necessária para montarmos o nosso quebra-cabeça e que possamos reduzir nossa ansiedade a respeito dos “porquês” das situações. Um dia tudo fica claro! Situações como essa apenas são possíveis quando você enfrenta o mundo e deixa que ele aconteça dentro de você; quando sai de casa e vive a vida; quando se abre para o novo que, muito embora nos dê medo, também nos presenteia com situações como essa. Guilherme, Bárbara; Fábio, Bárbara e seus filhos: vocês são peças do meu quebra-cabeça e que me trouxeram muita alegria ao formarem uma bela imagem nesse momento da minha vida!

E o futuro? Ahhhh meu amigos, ainda tenho muitas peças pra encaixar. Apenas me arrisco a dizer, ao melhor estilo “Vinicius e Toquinho” (ao mestre com carinho!), que ele é uma grande astronave que tentamos pilotar e que, sem o menor pudor e discrição, muda a nossa vida e depois convida pra rir ou chorar. Hoje, com essa surpresa, ele me fez chorar de alegria.

O acaso é o apelido que Deus usa quando não quer assinar suas obras!

Anúncios

8 thoughts on “Quebra-Cabeça”

  1. “Nada é por acaso” e a vida vive nos dando lições disso e nos surpreendendo. Coincidências? não, nunca!
    Muito bom ler seus textos…se cuide e continue feliz!

    Curtir

  2. Mais uma peça filho! Perceber a vida como um quebra-cabeça é uma visão madura de entender que ela muitas vezes não é tão simples. Mas enxergar que essas peças são presentes de Deus, que a nós é dado por Ele no momento certo, é uma benção! Você também é peça de muitos quebra-cabeça! Agradeço a Deus por ter me dado essa pecinha para o meu! Desculpe mas não tem como não chorar, se emocionar e comentar com tanto sentimento de orgulho e alegria por perceber suas realizações e felicidade! Amo você feliz! Bj mãe!

    Curtir

  3. Gabi. Falar de vc e de sua missão na terra, nada mais é que ver Deus agir na sua vida e na vida de todos em que sua luz pode alcançar. Você irradia uma luz Divina que não conseguimos explicar, apenas nos aproveitamos dela e nos deixamos levar pela sua clareza.
    Você é um exemplo para cada um de nós.
    Siga o seu coração em tudo que ainda terá para fazer e sempre Deus lhe mostrará o caminho a verdade e a felicidade. Bjs te amamos muito.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s